Biblioteca Estante Livre – Edição Burarama

 

Foto: Felipe Amarelo

Foto: Felipe Amarelo

A literatura ganhou uma nova casa em Burarama, Cachoeiro de Itapemirim (sul do Estado). Livros de diversos gêneros e nacionalidades estão abrigados e disponíveis a todos em uma estante muito especial no meio da Praça José Gava. A primeira Biblioteca Estante Livre foi inaugurada no dia 12 de maio, com muita festa e já conquistou crianças e adultos do distrito, que receberam de braços abertos a nova moradora da Praça.

“A Biblioteca Estante Livre foi pensada para fazer circular a literatura por lugares que têm pouco acesso aos livros, principalmente no interior do Brasil”, explica Vitor Lopes, idealizador do projeto. A comunidade de Burarama conta com 600 habitantes na área central e um total de dois mil, contando a zona rural. O acesso ao livro é basicamente para quem estuda nas escolas. O local é um exemplo de que a literatura não chega ao interior no Estado.

O contato com a comunidade começou muito antes do dia da festa. Buscando um envolvimento da escola com a biblioteca, o projeto desenvolveu oficinas de formação voltadas para o público infanto-juvenil. Para Mikhael Soares, que participou da oficina Nós somos a Mídia – a internet na minha vida, a parceria da escola com a equipe da biblioteca foi fundamental. “Além dos livros, o projeto trouxe o aprendizado por meio das oficinas, que nos aproximou mais ainda da biblioteca”, diz o jovem estudante.

O diretor da escola, Geraldo Luiz, promete que a parceria vai continuar e que a escola vai sempre incentivar a leitura dos livros da Biblioteca Estante. “O aprendizado fora da sala de aula é muito importante e com a chegada desses novos livros nós percebemos uma grande empolgação das crianças em relação à leitura. Nossa comunidade não conta com muitos postos de leitura, acredito que com a Biblioteca Estante Livre a comunidade terá disponível uma leitura agradável, em um local mais agradável ainda”, diz o diretor.

Para estreitar ainda mais essa relação, alguns moradores do local foram escolhidos como padrinhos e madrinhas do projeto. Mariângela Grillo Fassarella, uma das madrinhas, conta que as reuniões com a comunidade começaram em outubro do ano passado e desde o início todos ficaram maravilhados com a ideia. “Eu já tinha visto na televisão e em revistas projetos parecidos em outros países e quando soube que seria colocado aqui também, vibrei. Não temos banca de revista, o jornal é comprado pelo dono da padaria e todo mundo que passa para comprar pão lê as notícias”, diz.

Assim que a maioria ficou sabendo que seria instalada uma estante de livros na praça, os moradores começaram a reformar o local. A escola local também se movimentou, todas as turmas visitaram a praça para conhecer sua história e, assim, aprender a ter mais carinho com o espaço e, consequentemente, com a estante. “Vamos sentar na pracinha para ler os livros, conversar sobre o que cada um está lendo e indicar livros. A pracinha vai se tornar um local de encontro e de conhecimento”, garante Mariângela.

Durante a inauguração do projeto houve declamação de poemas de alunos e professores da escola, contação de história, com Maria Elvira Tavares, e apresentação da banda de rock local Memórias Profanas. A contadora de histórias, que é moradora de Cachoeiro, também se encantou com a ideia e logo que soube se colocou a disposição para ajudar. “A estante será um self-service de livros e com certeza fará a diferença aqui em Burarama. Durante a contação de história, espero conquistar mais leitores, principalmente as crianças”, diz Elvira.

Vitor Lopes conta que decidiu iniciar o projeto em Burarama porque, além da sua relação afetiva com o lugar, sua família viveu muito tempo na cidade, Burarama é um local onde as pessoas são muito unidas e atuantes. “A Praça José Gava onde foi instalada e a estante foi construída pelos próprios moradores, que continuam cuidando e melhorando o espaço”, diz.

A estante foi instalada na praça para ser de fácil acesso a todos, tanto para os moradores quanto para quem estiver passando pelo lugar. “O diferencial da biblioteca é que não há intermediário, é totalmente livre e gratuita, sem multa ou punição. A pessoa poderá ficar com o livro o tempo que for necessário para terminar a sua leitura e depois devolvê-lo, para que a obra possa ser lida por outras pessoas”, explica Vitor.

A Estante se integra ao ambiente local e é hermética, capaz de resistir às ações do tempo, como o vento e a chuva, o que garante que os livros estarão sempre protegidos. Na parte de baixo da Estante estão os livros infantis. Acima deles, os juvenis e os adultos.

“A biblioteca é intimamente pensada para ligar-se ao cotidiano da comunidade, por isso, no caso de Burarama, que se trata uma comunidade rural, a curadoria pensou também em acrescentar livros agrícolas sobre plantio e colheita de frutas e legumes da região”, completa Vitor Lopes.

Em relação ao cuidado com os livros e com a estante, Mariângela acredita que será um trabalho de longo prazo por meio de uma educação popular, cada um fazendo a sua parte e orientando aqueles que ainda não conhecem o projeto. “Nós percebemos que o grupo que trouxe a Biblioteca Estante tem uma confiança muito grande nos moradores de Burarama e nós queremos corresponder a essa confiança com honestidade e cuidando bem dos livros”.

Esse projeto é uma realização do Lab.Muy – Arte y Cultura Digital, por meio do Funcultura, da Secretaria de Estado da Cultura. A produtora está em busca de parceiros para aplicação em novas localidades. Mais informações: www.bibliotecaestantelivre.com.br

1 Comentário

  1. ClarIce Prates Boa Nova Coutinho
    19 de abril de 2015 em 20:25 · Resposta

    Parabéns, ao idealizador e à cidade.

Deixar um comentário