Quanto vale um poema?

Imagens-fofas-de-maquinas-de-escrever-25

A poesia é uma da inutilezas mais necessárias ao ser humano, mas como dar a ela a sua devida importância e valor? Essa é a provocação que a escritora Cora Made faz com seu projeto Quanto vale o poema?. Por meio do financiamento coletivo, Cora pede que as pessoas paguem o valor que acharem dignos aos seus poemas. No final, o dinheiro será usado para ela confeccionar de forma artesanal a sua obra de estreia: Fenda & Vulcão.

O impulso para Cora finalmente reunir os seus poemas em um livro foram as vivências coletivas, “percebi que muitas pessoas com talento para escrita poética acabam marginalizadas pelo mercado literário. Então decidi que o “Quanto vale o poema?” deveria ser um projeto que viabilizasse um selo para publicar poesias. Não só as minhas”.

A ideia é que futuramente o “Quanto vale o poema?” se torne um selo de publicação de poesias com tudo feito de maneira artesanal. O projeto vai priorizar poetizas não publicadas, mas não serão excluídos os poetas, desde que sejam autores de poesia sem publicação impressa.

Como todo financiamento coletivo, os colaboradores terão recompensas, quem participar vai entrar na lista da pré-venda desses livros e ganhar desconto na compra, além de participar de sorteios. Entretanto, diferente das plataformas tradicionais, o “Quanto vale o poema?” não tem uma meta e qualquer valor investido contribuirá para a realização.

“As contribuições tem surpreendido pelos valores. Quando lancei o projeto achei que receberia contribuições menores e que a maioria delas seria de pessoas dentro de uma rede de contatos que formamos. Temos arrecadado valores bem bacanas de pessoas desconhecidas”, diz Cora. Além dos valores em dinheiro, a escritora já tem recebido propostas de outros poetas e de parceiros para ilustrar e fazer o design do seu livro.

Cora concorda que é difícil dar valor para algo tão subjetivo. “Eu não saberia valorar, por exemplo, 25 anos de escritos de uma pessoa. É um pedação da vida, coisas que sentimos nesse tempo, essas coisas que nos levam a escrever. Mas eu sei valorar, como produtora, o custo de um projeto literário. Então acho que o poema vale pra mim a realização de todas as ideias embutidas nesse projeto”, afirma.

2 Comentários

  1. 3 de maio de 2016 em 17:01 · Resposta

    Boa tarde
    Como vai?

    Eu, como aspirante a escritor e amante da poesia aprovo todo projeto.
    Tomara que dê certo :)

    Abraços

  2. Fabíola Colares
    19 de julho de 2016 em 16:36 · Resposta

    Muito legal mesmo! E estou interessadíssima em ler.

Deixar um comentário