Yanni – Yan siqueira

10340148_288953367938704_5221767566661859838_n

A capa de Yanni já entrega um pouco do conteúdo do livro de estreia de Yan Siqueira. Os dois rostos que se desencontram e se complementam mostram a diversidade de sentidos, às vezes antagônicos, dentro de um ser humano. A coletânea de 15 contos aborda diversos temas como a loucura, a esquizofrenia, o cárcere, o amor entre homens, entre mulheres, entre homens e mulheres e a transexualidade.

“Apesar de serem histórias independentes, há um personagem comum em todas elas que é o Yanni ou a Yanni, um nome que não possui gênero e que transmite a temática central da obra que é a própria questão do gênero”, explica o autor Yan Siqueira.

O escritor, que também é professor de Língua Portuguesa e mestrando em Literatura, conta que seus contos questionam as funções sociais de gênero e tentam desconstruir certos padrões pré-estabelecidos pela sociedade. Outro ponto em comum entre suas histórias são os personagens que, em sua maioria, são jovens da geração Y. “São aqueles que nasceram depois de 1980 e assistiram ao avanço tecnológico e a ruptura da família tradicional, além do fácil acesso à informação e à comunicação, que nenhuma outra geração teve”, explica Yan.

O livro também tem uma preocupação gráfica, ele é divido em quatro seções, W, X, Y e Z, “essa divisão foi temática, cada seção aborda um tema que tem ligação com a obra como um todo”, diz. O personagem central Yanni parece se confundir com o nome do autor, mas Yan explica que é proposital essa confusão. “O título pode sugerir uma obra de testemunho, mas é só uma brincadeira ou uma ironia com a semelhança entre os nomes”.

O livro foi contemplado pelo extinto edital Rede Cultura Jovem e teve como orientador o poeta Marcos Tavares. Yan conta que o aprendizado foi muito rico e intenso, assim como o processo de edição, o livro passou por inúmeras revisões. “Tavares é bastante perfeccionista e nunca considera que um livro está pronto, acabei ficando um pouco obsessivo como ele”, ri.

O evento de lançamento do livro também vai contar com o sarau poético da Confraria dos Bardos e com a apresentação musical de Thobias Lieven. A Confraria é um grupo ligado à literatura cujo Yan é um dos membros fundadores, suas apresentações costumam misturar declamação de poemas de autores capixabas, nacionais e internacionais com recursos cênicos e musicais.

Essa relação com a poesia que Yan tem com a Confraria também aparece em sua obra. Ele diz que há dois contos especiais que foram escritos em linguagem poética, além de outras passagens e pistas que revelam essa influência na obra.

1 Comentário

  1. 22 de setembro de 2017 em 07:42 · Resposta

    Bom artigo, muito obrigado.
    Falando sobre internet e tecnologias nos dias de hoje, isso nos ajuda a viver mais confortavelmente. Como agora eu armazeno minha papelada através de datarooms virtuais. Eu sei que é seguro.

Deixar um comentário