A árvore da vida

capa_BARBARA“Bárbara” é feita de aço, concreto e tijolos. Mas também tem raízes profundas, tronco e galhos. “Bárbara” é a árvore genealógica que sustenta uma geração de mulheres no livro de contos – ou seria romance? – de Brunella Brunello.

No livro, o prédio que abriga os seus personagens tem alma e carrega um pouco da energia de cada morador. A narrativa começa no apartamento 101, com uma mudança e uma esperança de uma nova vida. A narradora vai passeando de apartamento por apartamento, passando pelo pátio, pelo elevador e resgatando memórias e afetos.

Cada andar uma história, uma dor, uma alegria. A medida que vamos subindo, a densidade dos contos também vai crescendo. No 201 temos uma festinha que se transforma em uma grande surpresa para os familiares, no 402 também temos um aniversário, que pouco a pouco vai revelando sua verdadeira razão. No 502 um término repentino faz com que a solidão inunde todo o apartamento.

Com sua escrita sintética, mas sem ignorar o que realmente importa, Brunella vai contando suas histórias e provocando no leitor diversos temas como a maternidade, a morte, o amor, o sexo, a fragilidade humana, a força da mulher e a ação do tempo nos nossos corpos e nos objetos.

A verdade é que quando se chega à cobertura do prédio, a vontade é descer novamente até o 101 para ir amarrando todos os fios que a escritora deixa solto ao longo dos contos. Entretanto, alguns segredos devem permanecer guardados.

Sobre a autora

Brunella Brunello nasceu em Vitória, em 1990. Formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e trabalha como redatora publicitária. Publicou contos e crônicas em periódicos e participou da antologia “Sem a Loucura Não Dá” (Ed. Cousa, 2017), que reúne contos inspirados em canções de Sérgio Sampaio. “Bárbara” (Ed. Cousa, 2017) é seu livro de estreia.

Deixar um comentário