Quadrinhos sinestésicos

 

VENENO PARAÍSO Miolo28

Veneno Paraíso (Secult / 2013) é uma explosão de cores, rabiscos, formas, texturas e letras. Mas todo esse caos é organizado para contar a história de um casal peculiar que nos é apresentado antes do livro começar. Ela é Penélope, dançarina de boate, olhos de ressaca e cabelos inconstantes. Ele, não se sabe o nome, mas é jornalista, alto, magro demais e cabelos bagunçados por debaixo do chapéu.

A história em quadrinhos, que não é estruturada em quadros, obedece às próprias regras e extrapola a página formando verdadeiros painéis independentes. Os quadros se misturam e o texto é como um guia em primeira pessoa, que, no caso, é a voz e os pensamentos do jornalista.

As responsáveis pelas ilustrações são as artistas Isabela Bimbatto e Ayla Lourenço. O roteiro ficou por conta do escritor João Chagas. Apesar de ser um pequeno episódio, as imagens são tão vivas que realmente passam a impressão de movimento, como num filme. A riqueza de detalhes lhe força a ficar muito tempo nas páginas, para observar cada nuance desse filme psicodélico – ou seria melhor sonho psicodélico.

Usou um sorriso que me
cativou até mesmo pelo
telefone

As texturas e cores das ilustrações dão uma sensação de sinestesia. Apesar do colorido, a HQ tem um clima pesado e um suspense, que transfere bem a tensão entre o casal. Entretanto, a cada página esse clima se mantém ou muda completamente, assim como a personagem Penélope, que tem a personalidade tão variável quanto as cores do seu cabelo.

Penélope é cativante e sensual. A princípio parece não se interessar pelo jornalista e muito menos pela sua entrevista, sempre respondendo um “dissimulado não sei”. Mas não demora muito para ela tomar conta da situação e fazer com que as coisas sejam do seu jeito.

ju2Ao final, a história se assemelha mais a uma lembrança, que não tem ordem e nem dimensão e é preenchida pela imaginação.

Os Autores

Veneno Paraíso é fruto da interação de ilustrações e cores de Isabella Bimbatto e Ayla Lourenço, graduandas em Artes Plásticas pela Ufes, e do roteiro de João Chagas, formado em Letras-Inglês, também na Ufes. Os comparsas trabalham juntos também em projetos de fotografia e literatura, como o Vídeo Litteris (Edital Programa Rede Cultura Jovem / 2012), Despedaços (Edital Rede Cultura Jovem / 2011) e Ich Und Meine Schwester (produção independente / 2010).

2 Comentários

  1. 5 de março de 2014 em 22:55 · Resposta

    Você é uma ótima resenhista, Lívia, deu vontade de ler quase todos que vi aqui.

Deixar um comentário